top of page
mais-bicicletariosroxo.jpg
logotipo_branco_negativo.png

Com a finalidade de promover a intermodalidade, constituir infraestrutura para a promoção do uso da bicicleta e incentivar mais pessoas a pedalar, o Instituto Aromeiazero, em parceria com Ciclocidade e com patrocínio do Itaú Unibanco, desenvolve o projeto “Mais Bicicletários”, que propõe-se a constituir um bicicletário próximo a estação de alta capacidade em área com altos índices de vulnerabilidade, na borda da cidade de São Paulo.

BAIXE AS PUBLICAÇÕES DO PROJETO MAIS BICICLETÁRIOS

Bicicletários devem ser acessíveis e São Paulo precisa avançar nas políticas públicas para atender à população e também à legislação que rege o tema. Como gerir espaços tão importantes de um jeito sustentável é uma pergunta crucial nesse processo que o Aro se esforça para ajudar a responder através do projeto Mais Bicicletários.

‚Äč

Neste processo, lançamos duas publicações que podem ajudar gestores, pesquisadores e a população em geral a engrossar esse caldo e debater caminhos para a construção de bicicletários sustentáveis e eficientes e de políticas públicas de mobilidade integradas e acessíveis.

 

Partimos do entendimento que bicicletários podem e devem se adaptar às diferentes realidades urbanas, inclusive com outros serviços que agreguem os interesses e as necessidades dos ciclistas.

‚Äč

Abaixo, você confere as duas publicações já lançadas pelo projeto, a mais recente delas neste mês de junho de 2023 trazendo os principais conceitos de arquitetura para a implantação de bons bicicletários. A segunda publicação é o relatório do projeto ao longo de 2022, na fase de pesquisas e análises de territórios. A intenção do projeto é construir ou expandir um bicicletário em uma das estações de metrô em bairro periférico de São Paulo.

 

O Guia Mais Bicicletários é uma realização do Aromeiazero com patrocínio do Itaú Unibanco e parceria técnica da 23 Sul Arquitetura e Urbanismo.

MAIS_BICICLETARIOS_1.png

Ciclodebates

Os bate-papos aconteceram de forma online, com transmissão ao vivo pelo YouTube, Facebook e Linkedin do Aromeiazero, com participação de profissionais da área de transporte, integrantes de coletivos periféricos, gestores e pesquisadores que sentaram à mesa para trocar experiências e destacar os desafios para a construção de uma política mais efetiva para estacionamento de bicicletas. ūüó£

ūüďć1ª Parada - Bici o que? O que são, para o que servem e porque amamos tanto esses bicicletários;

ūüďć2ª Parada - Bicicleta dá em árvore? - a falta que um bicicletário faz nas bordas das cidades;

ūüďć3ª Parada - Um cantinho pra chamar de nosso - bicicletário é um direito e um bom negócio;

Ciclodebates - Mais Biciclet√°rios

Ciclodebates - Mais Biciclet√°rios

Ciclodebates - Mais Biciclet√°rios
Buscar vídeo...
ūüďć3¬™ Parada: Um cantinho pra chamar de nosso - biciclet√°rio √© um direito e um bom neg√≥cio

ūüďć3¬™ Parada: Um cantinho pra chamar de nosso - biciclet√°rio √© um direito e um bom neg√≥cio

01:50:49
Reproduzir vídeo
2ª Parada - Bicicleta dá em árvore? - a falta que um bicicletário faz nas bordas das cidades

2ª Parada - Bicicleta dá em árvore? - a falta que um bicicletário faz nas bordas das cidades

01:51:57
Reproduzir vídeo
Bici o quê? O que são, para o que servem e porque amamos tanto esses bicicletários

Bici o quê? O que são, para o que servem e porque amamos tanto esses bicicletários

02:05:21
Reproduzir vídeo

ct no pedal

Maior conjunto habitacional da América Latina e com uma vital dinâmica interna a partir da sua diversidade de comércios, serviços, parques e centros culturais, Cidade Tiradentes é um distrito com grande potencial para uso da bicicleta.

‚Äč

Neste contexto, o Instituto Aromeiazero, com o patrocínio do Itaú Unibanco, realiza desde 2018 em Cidade Tiradentes, uma série de ações para fortalecer o uso da bicicleta no território.

 

Como parte do planejamento de incentivo para o uso desse sistema, melhoria da infraestrutura para a bicicleta e aumento de condições para que mais mulheres pedalem, foi realizado no dia 21/05, uma intervenção que contou com uma aula aberta de mecânica básica de bicicleta e oficina para ensinar  mulheres a pedalar. Além disso, houve uma bicicletada pedindo a volta da ciclofaixa na Av. dos Metalúrgicos,  única no distrito e que foi retirada em 2019, com promessa de retorno.

coletivo bike zona sul é selecionado no edital de comunicação do projeto mais bicicletários

Serão 8 mil reais para desenvolver um conjunto de conteúdos que promovam o debate sobre o estacionamento seguro de bicicletas, uma demanda prevista em leis, mas que está longe de ser adequadamente atendida pelo sistema de transporte público da capital.

RESULTADO_FEED_IG.png

Como fase inicial do projeto, foi identificado que não há, no geral, a compreensão da importância dos bicicletários. Parte do público usuário do transporte público não considera o uso da bicicleta como uma alternativa, por não ser contemplado por infraestrutura adequada em seus trajetos. Pensando em mudar esse contexto, o Aromeiazero busca através deste edital, a construção de uma estratégia de comunicação que dialogue com o público periférico, pressione ações do poder público e insira a problemática dos bicicletários para todos.  

‚Äč

O Bike Zona Sul ganhou nossa edital propondo evidenciar as problemáticas das demandas por bicicletários e os contrastes dessas estruturas em comparativos entre as zonas centrais e periféricas, com estudo de caso ao longo das estações de uma mesma linha de metrô: a Linha 5 Lilás da ViaMobilidade. 

Ao longo dos próximos dois meses teremos muitos conteúdos para você compartilhar e engajar. Acompanhe tudo pelas redes sociais do Aromeiazero e do Bike Zona Sul!

 

‚Äč

‚Äč

‚Äč

RESULTADO_FEED_IG.png